FLORIN E PROFESSORES MANTÊM O DIÁLOGO

PREFEITO OUVE REIVINDICAÇÕES DOS PROFESSORES

Mais que um slogan de governo, o Trabalho e Transparência tem norteado as ações da Administração Municipal. Nesse contexto, o prefeito José Florin recebeu na última quinta-feira, 08/03, professores da rede municipal de ensino e representantes da APLB para discutir a pauta e ouvir as reivindicações da categoria. O diálogo franco e aberto com os servidores e a sociedade tem sido a praxe da atual gestão.

A reunião teve início com Florin parabenizando as mulheres pelo seu dia e falando da participação feminina nas transformações da sociedade e nas conquistas nos mais diversos setores.

Participaram da reunião Núbia Angélica, Secretária de Educação, Fernando Lopes, Secretário de Administração e Finanças, Drª Geane Benevides, da ASCONP, assessoria contábil, Rildo Souza e Leandro Cerqueira, da área jurídica do Município e uma comissão formada pelos professores Gilmário, Crispim e Professora Andréia, representando a categoria.

Contudo, tão logo Florin soube que quase duas dezenas de professores aguardavam em frente ao prédio da Prefeitura Municipal, interrompeu a reunião e convidou-os a participar do evento.

Geane Benevides e Rildo Souza, apresentaram os dados relativos as Receita e Despesas do FUNDEB no município de Santanópolis e as dificuldades do município em atender as demandas da categoria, principalmente em razão da queda da receita do FUNDEB 3,27% somente nos últimos dois anos ao passo em que o Piso Nacional do Magistério teve aumento de 14,97% no mesmo período. Além da queda de receita e aumento desproporcional das despesas, os técnicos observaram, também, que o município tem a obrigação de cumprir as limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal e, por tal razão, o atendimento das reivindicações acabaria por inviabilizar a gestão municipal, uma vez que dificilmente se conseguiria cumprir o limite de comprometimento da Receita Corrente Líquida com a Despesa com pessoal, hoje acima dos 54% permitido por lei.

Por seu turno, a categoria que se disse em greve, estabeleceu o pagamento de um adicional que não teria sido pago em janeiro de 2018, como condição sine qua non para o início das aulas.

Florin ficou de discutir com a equipe técnica os meios para assegurar o início das aulas na próxima segunda feira, 12/03.

Compartilhe

Mais Notícias